Demorou mas surgiu uma voz na soteropolis para incidir no debate sobre a retomada ou não da carnaval baiano na perspectiva daqueles que trabalham, realmente, no carnaval baiano. Até o momento o discurso era na oportunista, cínica às vezes, argumentação da geração de oportunidades de renda para aqueles em situação de vulnerabilidade. Em geral postos de trabalho em condições precárias sem retorno financeiro significativo.

Parabéns ao autor, André Santana, pela iniciativa. Espero que repercuta junto àqueles comprometidos com um mundo do trabalho mais justo e equânime. E que o carnaval seja pensado como uma manifestação da cultura popular voltada para todos e não apenas um negócio para poucos.

Leia o texto clicando aqui ou a partir da postagem abaixo.