Busca

TRAMPO Trabalho e economia solidária

notícias e reflexões sobre o mundo do trabalho e economia solidária

Vamos ouvir um podcast ?

Quero crer que todos nós já escutamos o termo podcast. Principalmente depois que o Fantástico apresentou uma extensa reportagem sobre os podcasts da Rede Globo.

Para eventuais desavisados, podcast é uma espécie de programa de rádio veiculado na internet através de serviços de streaming. Algo próximo de uma Netflix para programas de rádio. Via de regra cada podcast é voltado para um tema específico tendo episódios regulares e podem trazer entrevistas, comentários, debates ou um pouco de cada um.

A popularização dos podcasts tem muito a ver com o tempo gasto nos centros urbanos com os deslocamentos entre casa, trabalho e lazer. Uns passam o tempo ouvindo música, outros vendo vídeos e agora pode-se acompanhar um acalorado debate sobre questões cotidianas ou a resenha do bestseller do momento.

A partir desta semana este blog terá uma sessão para sugerir podcast sobre trabalho, sindicalismo e/ou economia solidária. Ou episódios específicos referentes a este tema.

O que é o caso desta semana onde recomendamos é o Guilhotina produzido pela equipe do jornal mensal Le Monde Diplomatique Brasil. O episódio sugerido é o penúltimo, #55, onde a juiza do trabalho Patrícia Maeda é entrevistada sobre os impactos dos contratos de trabalho intermitente (contrato zero hora).

Para acessar este podcast através deste blog clique aqui. Se você usa algum aplicativo de música (Spotify ou Deezer, por exemplo) é só fazer uma busca em podcast Guilhotina que você chega lá.

Boa audição. E se o seu sindicato tem um podcast ou se você conhece um sobre sindicalismo manda o contato que temos interesse em divulga-lo.

E em breve este blog também terá o seu podcast.

Sobre a contratação de militares da reserva, por Edvaldo Pitanga

Edvaldo Pitanga

Direto e objetivo o texto do companheiro Edvaldo Pitanga. dirigente do SINTSEF Ba e da CONDSEF sobre a convocação de 7.000 militares pelo presidente Bolsonaro para deafogar o atendimento da Previdência Social :

Governo diz que vai contratar 7.000 militares da reserva para atender os pedidos de aposentadoria no INSS, que estão encalhados por falta de funcionários no órgão e por ineficiência no sistema.

Essa decisão derruba vários “mitos” de uma só vez.

O primeiro “mito” que cai, com esse movimento, é o de que o Estado tem funcionários em excesso. Se tem, por que necessita da contratação de 7.000?

O segundo “mito” que desmorona é o de que esse governo contrata por “critérios técnicos”, quando o serviço a ser executado exige conhecimento e treinamento próprios de servidores do INSS;

O terceiro “mito” que essa decisão do governo derruba é o de que “acabou a mamata”. Ao contrário, acaba de convocar 7.000 mamadores parrudos para sugar o dinheiro do contribuinte, sem realizar concurso público.

O quarto “mito” que a contratação dos milicos detona é o de que esse desgoverno não iria aparelhar o Estado.

É o governo do “Minto” derrubando todos os mitos.

Publicado originalmente no perfil de Facebook do autor. Para acesso clique aqui

17 teses e dissertações sobre trabalho defendidas em 2019 no Brasil

O título do post é exatamente igual ao de uma postagem no melhor (até onde conheço) site sobre tecnologia e seus impactos no mundo do trabalho : DIGI LABOUR, editado pelo Rafael Grohmann, professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) (currículo Lattes).

Leia o post clicando aqui, siga o site e assine a newsletter que é muito boa.

A ocupação da Casa da Moeda e o Twitter

Na noite da sexta, 10 de janeiro, começou a circular em alguns grupos de Whatsapp ligados a grupos de esquerda em Salvador áudio atribuído ao ex-senador carioca Lindenberg Farias pedindo apoio a uma ocupação das dependências da diretoria da Casa da Moeda por trabalhadores inconformados com as ameaças de privatização da empresa, demissões e retiradas de direitos.

Como só vi por volta da meia-noite optei por dormir e buscar informações pela manhã. Não foi surpresa só encontrar informações numa postagem da Forum e do Brasil 247 (leia aqui e aqui) sendo que a matéria do Brasil 247 referencia-se no texto da Forum.

Por sua vez o texto da Forum tem como fonte o perfil do Twitter @gabedalavigne que organizou uma thread relatando o ocorrido (acesse aqui) e algumas postagens do Sindicato dos Moedeiros também no Twitter (@cmbpublica).

Fiz contato com estes dois perfis e através deles, mais até o @cmbpublica, venho me informando sobre os acontecimentos. O certo é que a ocupação encerrou-se às 22 horas da sexta e na segunda feira tento mais informações.

Me parece que esta é a primeira ação intempestiva de trabalhadores de uma empresa gerida pela União contra os desmandos de Bolsonaro, Paulo Guedes e equipe. Representados por um sindicato que, aparentemente, não teve apoio das centrais sindicais tradicionais e que conseguiu furar o bloqueio da grande imprensa através da ação militante nas redes sociais, notadamente o Twitter.

Fico na expectativa das manifestações de apoio e solidariedade do movimento sindical e também na expectativa de que os nossos ativistas compreendam e reflitam sobre o papel da comunicação via redes sociais nesta quadra da conjuntura.

E acompanhem os próximos capítulos seguindo a hashtag #casadamoedaresiste .

Reforma da Previdência estadual: qual será o posicionamento da CUT Ba ?

Caminhando para o recesso natalino de 2019 o Governo do Estado da Bahia enviou para a Assembléia Legislativa a PEC 157/2019 que altera a Previdência Estadual de maneira similar à recente reforma da previdência do governo Bolsonaro. Não só enviou à ALBA como solicitou, e conseguiu, a tramitação em regime de urgência. Neste caso o tempo necessário para um processo negocial é escasso.

A reforma só não é igual à reforma de Bolsonaro por conta do cálculo dos benefícios embora ainda represente perda em relação ao sistema me vigor. É o que conclui o DIEESE em estudo apresentado ao movimento sindical dos servidores públicos em reunião realizada na sexta, 20 de dezembro, na sede da APLB. Leia o estudo clicando aqui.

Nesta reunião as entidades presentes adotaram dois encaminhamentos :

  • realizar café da manhã no dia 27 de dezembro às 8 horas na sede da APLB com convite encaminhado para parlamentares;
  • manifestação na Assembléia Legislativa da Bahia no próximo 7 de janeiro às 9 horas.

Pela composição do público da reunião do dia 20 a CTB sai na frente da mobilização até porque comanda os sindicatos mais expressivos do serviço público estadual. Sindicatos de servidores e professores das universidades estaduais, com ampla representação de ativistas ligados à Intersindical ou ao CONLUTAS estão em campanha nas redes sociais tendo como mote a associação do Governador Rui Costa à imagem do Presidente Bolsonaro.

Resta saber como se comportará a CUT Ba que se por um lado tem uma direção renovada e disposta a “mostrar serviço” por outro lado tem uma ligação quase que orgânica com o Partido dos Trabalhadores, ao qual o Governador Rui Costa é filiado. Aliás o PT e seus parlamentares não tem se manifestado sobre o tema.

Resta-nos aguardar os desdobramentos e posicionamento dos atores.

Consulta pública sobre “Política de Saúde do Trabalhador do Estado da Bahia”

A Secretaria de Saúde do Estado da Bahia lançou, através do DIVAST/CESAT (órgão que cuida da saúde do trabalhador) uma consulta pública para colher sugestões da sociedade para a “Política de Saúde do Trabalhador e Trabalhadora do Estado da Bahia.

A Consulta Pública foi lançada em atividade que contou com debate com a presença de José Sérgio Gabrielli e Ana Georgina (DIEESE). A fala de ambos sobre a situação do mercado de trabalho baiano merece um post à parte.

As contribuições à consulta podem ser realizadas em site específico (http://www1.saude.ba.gov.br/consultapublica) onde também se encontra a minuta da proposta da política.

Índice da Condição do Trabalho do DIEESE : e como anda a Bahia ?

O DIEESE publicou nos primeiros dias de dezembro o seu ICT – Índice da Condição do Trabalho onde compara o comportamento do mercado de trabalho brasileiro entre o terceiro e o segundo trimestre de deste 2019 a partir da combinação de indicadores que medem ou retratam a inserção ocupacional, a desocupação e o rendimento.

O relatório pode ser lido aqui mas o que me chama a atenção é a situação dos indicadores da Bahia observados no infográfico abaixo :

ICT Br Ba

Em que pese os índices de aprovação dos governos do PT e a melhora dos indicadores sociais percebemos uma piora nos indicadores do mercado de trabalho em relação aos indicadores nacionais e, no indicador “rendimento médio real por hora”, um recuo em relação a 2014.

Estes indicadores permitem algumas interpretações que teriam/deveriam ser objeto de debate entre técnicos de governo, academia e movimentos sociais : a possibilidade de implementação de políticas estaduais que gerem ocupação e renda são limitadas devido ao pacto federativo e o peso das questões macro econômicas ou estas políticas é que são ineficientes?

Com a palavra os especialistas e os ativistas do mundo do trabalho.

Empresas recuperadas : oficina abre a programação da II Semana de Economia Solidária

A SETRE – Secretaria Estadual de Trabalho e Economia Solidária realiza a partir deste 09 de dezembro a II Feira Estadual de Economia Solidária no Salvador Shopping. Voltada à comercialização de produtos e aproveitando o calendário natalino a feira também tem uma programação de oficinas que vale a pena acompanhar.

Neste dia 10 a primeira oficina da programação traz um tema instigante : “Empresas Recuperadas”, ministrada por Arildo Mota, sócio da UNIFORJA (uma empresa recuperada e comandada pelos trabalhadores) e primeiro presidente da UNISOL Brasil.

A oficina é interessante pelo exercício da experiência vivida e pela oportunidade de reflexão coletiva sobre a possibilidade de experiências como esta prosperarem num ambiente de baixa atividade econômica. Enquanto a oficina não acontece deixo um vídeo com o Arildo

 

Audiência pública sobre Economia Solidária traz Ladislau Dowbor a Salvador

O mandato do Senador Jaques Wagner – PT Ba realiza nesta segunda feira, 09 de dezembro, audiência pública para discutir os rumos da economia solidária no país. A iniciativa visa colher subsídios para aprimorar a PEC 69/2019 de autoria do Senador que objetiva inserir a economia solidária entre os princípios da ordem econômica brasileira.

Os debates ocorrem entre as 9 e as 17 horas e às 10:30 o professor Ladislau Dowbor faz a intervenção principal na mesa que discute “Desafios da Economia Solidária na Atual Conjuntura”.

O professor Ladislau Dowbor tem uma vasta produção acadêmica, escrita em linguagem acessível porém sem perder a profundidade. Mantém um site (veja aqui) onde comenta as movimentações da conjuntura econômica, resenha livros atuais e comenta as teses e textos dos economistas que impactam na compreensão do mundo contemporâneo.;

É autor de um livro necessário para entender o mundo hoje : “A era do capital improdutivo” editado pelo site Outras Palavrase editora Autonomia Literária cuja versão integral me PDF pode ser lida clicando aqui.  No seu site encontramos um pequeno curso em vídeo, produzido em parceria com o Instituto Paulo Freire, sobre o teor do livro. São vídeos curtos, um para cada capítulo do livro, deixando a experiência mais suave.

Deixo a seguir o primeiro vídeo do curso :

Blog no WordPress.com.

Acima ↑