Busca

TRAMPO Trabalho e economia solidária

notícias e reflexões sobre o mundo do trabalho e economia solidária

Análise de Conjutura #017 – 16 a 22 nov 2020 – por J. S. Gabrielli

Segue em anexo o mais recente boletim semanal.

Receba no seu email

Se você não quer esperar pela nossa publicação envie uma mensagem para o endereço eletrônico jsgazevedo@gmail.com informando que deseja receber o boletim. E toda segunda pela manhã ele estará na sua caixa postal. Segue o boletim….boa leitura

O atraso na apuração das eleições e a luta contra as privatizações

As eleições municipais de 2020 surpreenderam pelos problemas no processo de apuração. O sistema de apuração das urnas eletrônicas, case de sucesso mundial, apresentou falhas que resultaram em atraso na divulgação dos resultados.

Pela manhã o alto volume de acessos aos servidores responsáveis pelo funcionamento do aplicativo E-título provocou interrupção nos serviços.

Tudo isso junto alimentou rumores, alimentados pelas fake news disparadas por conhecidos sites bolsonaristas, de que o sistema brasileiro seria falho e propício a fraudes. O que houve na verdade foram decisões no mínimo equivocadas do TSE explicadas por links e vídeos a seguir.

E o que a luta contra as privatizações tem com isso ?

Durante o processo de tomada de decisão cogitou-se a utilização de uma “nuvem ” pública, ou seja, a utilização das estruturas computacionais e de armazenamento de dados do SERPRO ou DATAMEC, utilizadas com sucesso em situações anteriores. Prevaleceu a posição de contratar a ORACLE, gigante norte americana no setor de serviços e infra estrutura.

Para entender melhor

TSE diz que comprou “cloud Oracle” porque só a Oracle vende o “cloud Oracle” – PODER 360

Ataque hacker e lambança do TSE atiçam terraplanismo eleitoral – UOL Tilt

Os líderes dos G20 devem aproveitar o momento e acordar as bases de um novo pacto social

A Cúpula do G20 teve início no dia de hoje, sábado 21 de novembro, com declarações desastradas do presidente Jair Bolsonaro (veja aqui).

Voltando as atenções para as ações do movimento sindical internacional reproduzo aqui o recente da CSI sobre os rumos que este encontro deveria apontar :

“A CSI, como parte do grupo L20, que representa os trabalhadores no nível do G20, pede uma ação urgente na Cúpula do G20 que será realizada neste fim de semana na Arábia Saudita.

Os líderes do G20 devem aproveitar este momento para lançar as bases para uma recuperação econômica focada no emprego e empregos amigáveis ​​ao clima, direitos dos trabalhadores, proteção social universal e tributação justa para garantir que os benefícios obtidos por alguns durante a pandemia são compartilhados com todos.

Sharan Burrow, secretária geral da CSI, comentou a respeito: “Este é um momento extraordinário na história e os líderes do G20 não podem deixar de tomar medidas extraordinárias.

“Em setembro, os Ministros do Trabalho do G20 reconheceram que os efeitos econômicos de lidar com a COVID-19 deixarão os trabalhadores mais vulneráveis ​​à‘ pobreza, informalidade e diferentes formas de exploração ’. Esta foi a primeira fase.

“Agora cabe aos Líderes do G20 fazer o que for necessário para reverter essa situação, tomar medidas contra a pobreza, contra a exploração e a favor de empregos formais e ecologicamente corretos. Devem construir o Novo Contrato Social pelo qual clamam todos os trabalhadores, que assenta em empregos de qualidade, direitos fundamentais dos trabalhadores, protecção social universal e um sistema fiscal justo ”.

Pierre Habbard, Secretário-Geral do Comitê Consultivo Sindical (TUAC) da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), destacou a importância do momento presente: “A pandemia COVID-19 tornou-se a maior do mundo profundidade da história moderna. É uma crise que se soma a muitas outras crises subjacentes. Ela não atingiu economias que antes eram robustas e socialmente justas.

“O G20 de Líderes foi criado na esteira da crise financeira global de 2008. A crise da COVID-19 representa um novo desafio para o G20 como o principal fórum global com a capacidade de trabalhar em conjunto e tomar ações decisivas contra uma crise isso pode rapidamente se transformar em uma crise política para a democracia ”.

A declaração L20 para a Cúpula de Líderes do G20 descreve os meandros do problema exacerbado pela “pandemia da desigualdade”, bem como como a recuperação e a resiliência podem ser baseadas na “aplicação de compromissos anteriores e novas medidas” .

  • O mundo perdeu 495 milhões de empregos (estimativa da Organização Internacional do Trabalho (OIT)
  • As mulheres foram afetadas de forma desproporcional, pois estão sobrerrepresentadas em empregos precários e mal pagos.
  • Os 25 bilionários mais ricos aumentaram suas fortunas em US $ 255 bilhões entre meados de março e o final de maio.
  • A mudança climática se tornou uma emergência, com 2020 quebrando recordes terríveis.
  • Os gastos militares globais totalizaram US $ 1,9 trilhão em 2019, o maior crescimento anual desde 2010.

No entanto, essa situação pode ser resolvida por meio de medidas como:

  • declarar a COVID-19 como doença ocupacional e proteger os trabalhadores;
  • fornecer meios financeiros a todos os países por meio de reformas tributárias progressivas, acordos financeiros e monetários;
  • aumentar a segurança do emprego e da renda para os trabalhadores e todos os cidadãos, sustentando um trabalho decente em um Novo Contrato Social que inclui a proteção social universal;
  • criar empregos de boa qualidade que garantam os direitos fundamentais dos trabalhadores, investindo na economia de cuidados e empregos amigáveis ​​ao clima para construir economias resilientes;
  • aplicação de impostos progressivos, um imposto sobre transações financeiras, um imposto digital e o estabelecimento de um limite mínimo para o imposto sobre as sociedades.
  • “Facilitamos muito a tarefa dos Líderes do G20, discutimos, pensamos e planejamos tudo para eles e declaramos isso em nosso comunicado.

Basta ler e colocar em prática, em parceria com os trabalhadores e seus sindicatos. Se não o fizerem, a história irá julgá-los por deixar este momento escapar por entre seus dedos, e estaremos lá para lembrá-los ”, concluiu Sharan Burrow.”

Para ler a proposição das representações do L20 ==> https://bit.ly/33nwDPV

Análise de Conjuntura – José Sérgio Gabrielli – 9 a 15 nov

Segue mais recente produção do prof José Sérgio Gabrielli trazendo as primeiras impressões sobre os resultados do primeiro turno das eleições municipais. O boletim foi publicado originalmente na segunda feira, 16 de novembro.

Se você não quer esperar pela nossa publicação envie uma mensagem para o endereço eletrônico jsgazevedo@gmail.com informando que deseja receber o boletim. E toda segunda pela manhã ele estará na sua caixa postal. Segue o boletim….boa leitura

CUT e FS criam a Industriall Br

Com o objetivo de organizar a luta dos trabalhadores contra a desindustrialização em curso no Brasil a CUT e a Força Sindical lançaram a partir de uma “live” realizada ontem (vídeo mais adiante) a Industriall Br .

Esta articulação já existe em escala mundial, começa no Brasil a partir dos ramos metalúrgicos e químicos mas pretende incorporar trabalhadores de vestuário, alimentação, energia e outros setores da indústria nacional.

A urgência da iniciativa é percebida pela redução do peso da indústria na economia nacional. Com isto reduz-se também a oferta de postos de trabalho com mais qualidade e remuneração. O primeiro presidente da Industriall Brasil é o metalúrgico Aroaldo Oliveira e os demais dirigentes estão presentes na “live” de lançamento. Informações adicionais são encontradas clicando aqui e aqui. E a “live” de lançamento vai a seguir.

As pressões sobre o emprego, por Clemente Ganz

Mais um texto escrito pelo sociólogo Clemente Ganz Lúcio, técnico do DIEESE. Mais uma leitura necessária para o momento.

Três aplicativos para organizar as tarefas diárias

Perdendo compromissos pois a memória falhou ou aquela anotação se perdeu entre tantas outras ? Cada vez mais temos aplicativos que ajudam na tarefa de organizar os compromissos cotidianos. Apresentamos aqui três alternativas bem populares:

  • Google Tarefas – simples e minimalista como todos os produtos do Google tem a vantagem de operar acoplado ao Google Agenda o que facilita o diálogo entre “compromisso” e “tarefa”;
  • Any Do – oferece bem mais funcionalidades mesmo na versão básica (grátis). Tem um sistema de alarme eficiente e a sua versão paga tem uma funcionalidade de alarme interessante : o alarme por localização. Você pode ser avisado de uma tarefa assim que chega a determinado local. É o meu preferido por conta de um detalhe: às 9 horas, no aplicativo instalado no celular, sou avisado de todas as tarefas do dia com a possibilidade de remaneja-las;
  • Todoist – o mais completo dentre os mais populares. Muitas funcionalidades e me constante evolução. Mais recentemente incorporou alguns recursos que mostram uma evolução na direção de transformá-lo num gerenciador de projetos semelhante ao Trello. Vale a pena conhecer e utilizar.

E você, qual a sua experiência com listas de tarefas ? Deixe nos comentários a sua experiência e sugira novos aplicativos para avaliação.

Boletim de análise de conjuntura com José Sérgio Gabrielli

O professor aposentado José Sérgio Gabrielli distribui todas as segundas feira um boletim analisando os principais fatos políticos e econômicos da semana anterior.

A partir desta semana este blog estará reproduzindo o boletim por considerá-lo um instrumento importante para a compreensão da realidade e dos fatos que efetivamente impactam no nosso cotidiano.

Se você não quer esperar pela nossa publicação envie uma mensagem para o endereço eletrônico jsgazevedo@gmail.com informando que deseja receber o boletim. E toda segunda pela manhã ele estará na sua caixa postal. Segue o boletim….boa leitura

Juventude e desemprego

foto Mathilde Missioneiro 30 set 2020 FolhaPress

Matéria da Folha de São Paulo neste domingo, 31 de outubro, (leia aqui) apresenta indicadores que evidenciam a deterioração das condições de acesso dos jovens ao mercado de trabalho.

Esta deterioração já acontecia desde a recessão de 2017 e agrava-se durante a pandemia quando o índice de desemprego na faixa de 20 a 24 anos chega a 29,7 % no período de abril a junho de 2020 segundo dados da PNAD Contínua.

Ao mesmo tempo o desânimo toma conta deste segmento populacional e o percentual de jovens que “nem trabalham e nem estudam” cresce de 26 % em 2012 para 35 % em junho de 2020.

Talvez estes números possam explicar a atração exercida sobre os jovens pelas atividades ilícitas notadamente o narcotráfico. E o crescimento das igrejas neo-pentecostais como espaço de acolhimento dos desalentados.

Infelizmente o momento eleitoral não tem debatido estas questões. As poucas propostas apresentadas sobre geração de oportunidades de trabalho se resumem a generalidades. E o movimento estudantil tradicional prioriza o debate de questões identitárias acreditando que uma educação pública de qualidade por si só equacione estas questões. O que as análises sobre dados recentes se encarrega de desmentir conforme pode ser lido no texto.

Deixo aqui mais uma vez o link da matéria. Quem desejar ler ou guardar o arquivo em formato PDF clica em ===> https://bit.ly/3mKrNmV

Blog no WordPress.com.

Acima ↑