Busca

TRAMPO Trabalho e economia solidária

notícias e reflexões sobre o mundo do trabalho e economia solidária

Tecnologia 4.0 e a busca de uma nova ordem mundial, por Allan Hayamma

O companheiro Allan Hayamma, direção do SENGE Ba e CUT Ba passa a publicar mensalmente na edição baiana do Brasil de Fato. Publico aqui a primeira contribuição que pode ser acessada no link https://bit.ly/3dvUYIG .

A geopolítica mundial está em constante disputa. As novas relações entre capital e trabalho estão em constantes mudanças. Novas nomenclaturas tais como “tecnologia 4.0”, “Indústria 4.0”, “internet das coisas” estão cada vez mais no seio das discussões no meio acadêmico, empresarial e governamental. A “Indústria 4.0” é uma expressão que foi forjada, capturada e que traduz a política desse novo contexto neoliberal, visando manter a dianteira global em projetos e na construção de máquinas e equipamentos inteligentes, esforço articulado que reúne governos, empresários e acadêmicos para a reprodução sistemática da mais valia dos trabalhadores.

E dentro dessa corrida têm se desenvolvido uma busca constante por um posicionamento estratégico nos campos da nova indústria, como o armazenamento e tratamento de dados (inclusive dentro do campo econômico), busca por novas matrizes energéticas, maior produtividade nos processos produtivos.

Obviamente que esse tema abrange muitas outras questões. Essas novas tecnologias têm alterado o setor de serviços, comércio, hospitalar, agropecuário, de exploração mineral e possibilitando novos negócios, como uma infinidade de serviços oferecidos por plataformas digitais, acumulando uma quantidade nunca vista de dados. Não por acaso, as grandes potências mundiais (países e corporações) investem somas vultosas nestes campos e travam verdadeiras guerras pelo domínio destas tecnologias, a exemplo da disputa pela hegemonia da tecnologia “5G”, envolvendo China e EUA. 

Neste cenário de avanços tecnológicos, vou abordar 3 aspectos que são centrais nessa disputa principalmente entre China e EUA.

Continuar lendo “Tecnologia 4.0 e a busca de uma nova ordem mundial, por Allan Hayamma”

QUEREMOS VACINA NO BRAÇO E COMIDA NO PRATO! – 20 de abril : Dia nacional de luta e conscientização

Reproduzo orientações para ações nas ruas e nas redes neste 20 de abril – Dia Nacional de Luta e Conscientização

Contra a fome, o congresso nacional tem que votar e aprovar o Auxílio de R$600 até o fim da pandemia.

Centrais sindicais, movimentos populares e organizações da sociedade civil pretendem chamar a atenção do país na próxima terça-feira, dia 20 de abril para a urgência do Congresso Nacional restituir o auxílio emergencial de R$600 e adotar medidas para acelerar o processo de vacinação através do SUS, para todas as pessoas.

A condução dos dois temas pelo presidente Jair Bolsonaro é criminosa.

O governo deixou o país para trás na fila mundial das vacinas, aumentando o número de casos e de mortes por covid-19. Depois de quatro meses sem nada, o novo auxílio proposto pelo governo atende menos pessoas, por menos tempo e com um valor que não compra nem meia cesta básica.

Mutirão nacional de colagem de cartazes e lambes

Essa é nossa iniciativa prioritária para esse dia 20 de abril.

Sindicatos, partidos, movimentos e entidades devem providenciar a reprodução e colagem dos cartazes que sintetizam nosso desejo mais urgente para todo o povo brasileiro: VACINA NO BRAÇO E COMIDA NO PRATO.

As artes sugeridas estão disponíveis em diversos formatos, inclusive para reprodução em gráfica, no link: https://bit.ly/3mPqjTa1

Outras ações

As centrais sindicais produziram um panfleto que pode ser reproduzido e distribuído em todo o país, nos locais de trabalho e terminais de transporte. A arte está disponível aqui: https://bit.ly/3mPqTa1

Sugerimos a todos os sindicatos e ativistas que tenham acesso a um projetor (datashow) que realizem um projetaço em faixadas usando sua criatividade e as artes sugeridas na noite do dia 20 de abril.

Ação nas redes sociais

É muito importante darmos ampla visibilidade ao nosso esforço de marcar as cidades com nosso protesto.

Se você participar de qualquer uma das ações sugeridas, ver nossos cartazes ou projeções fotografe, filme e poste nas suas redes sociais e da sua organização.

Para que todos nós possamos ver e saber que estamos engajados no mesmo movimento use a hashtag #VacinanoBraçoeComidanoPrato nas suas postagens.

Isso é muito importante também para que a nossa rede de comunicação colaborativa possa repercutir todas as ações realizadas nesse dia. Se quiser, envie seu registro também para nós pelo e-mail campforabolsonaro@gmail.com.

Campanha Fora Bolsonaro
Campanha Renda Básica que Queremos
Centrais Sindicais
Frente Brasil Popular
Frente Povo Sem Medo


Saiba mais em http://campanhaforabolsonaro.org.br/

Podcasts que gosto #004 – Guilhotina

Podcast vinculado ao jornal mensal Le Monde Diplomatique Brasil, o Guilhotina é um podcast mais denso e que trata com profundidade um assunto por episódio. Geralmente uma personalidade com relevância acadêmica ou junto aos movimentos sociais é entrevistado por duas pessoas que dialoguem com o tema em debate.

Pela densidade dada à abordagens e pelo ritmo da edição não é um podcast para ser ouvido em paralelo a outras atividades (direção de veículos ou tarefas domésticas) requerendo atenção específica. Tem duração de aproximadamente uma hora e pode ser ouvido nas plataformas de streaming ou na página do podcast hospedada no site do Le Monde Diplomatique Brasil (clique aqui).

#DefendaoSUS – começando a entender o Conselho Nacional de Saúde

Em postagem aqui neste blog dias atrás (leia aqui) me comprometi com algumas ações em defesa do SUS – Sistema Único de Saúde. Uma delas trata da difusão dos espaços e canais de participação e controle social. Comecei a buscar informações sobre o Conselho Nacional de Saúde e quando me vi estava observando a sua composição. Então vamos começar por ela. O CNS é constituído por quatro blocos de representação, a saber (composição detalhada apresentada no final do post):

  • entidades representativas dos usuários do SUS (24 entidades titulares e 24 suplentes)
  • entidades representando os profissionais de saúde (12 titulares e 12 suplentes)
  • entidades representando os prestadores de serviço (4 titulares e quatro suplentes)
  • entidades representando os gestores públicos (8 titulares e 8 suplentes)

Num primeiro olhar me parece uma composição equilibrada com alguma predominância das representações dos usuários do sistema estando pois alinhado com diretrizes de participação e controle social.

Observando a composição do segmento de “usuários” tenho também a impressão de equilíbrio entre entidades de representação de setores dos movimentos sociais (trabalhadores, indígenas, mulheres, LGBT, quilombolas, …) e representações de grupos de portadores de doenças (não sei se este é o termo adequado) que requerem políticas públicas focalizadas. Ressalvo que é o ponto de vista de um leigo aberto a críticas e contestações.

Uma lacuna se apresenta : a ausência de representações dos trabalhadores da economia informal; lacuna esta que se apresenta em vários outros espaços de representação e que espera-se que a dinâmica social apresente uma solução.

Vou investigar a forma de eleição destes conselheiros já que não vejo disposição do (des)governo Bolsonaro em promover conferências nacionais com esta finalidade. E em breve prometo um diálogo com a representação da CUT por conta das minhas relações com esta central sindical.

Segue a composição do Conselho; e fico no aguardo de manifestações

Conjuntura Semanal #034 – 05 abril – por J. S. Gabrielli

Se não quer esperar pela nossa publicação envie uma mensagem para o endereço jsgazevedo@gmail.com informando que deseja receber o boletim. E toda a segunda pela manhã ele estará no seu email.

https://pt.scribd.com/document/502107215/Boletim-de-Conjuntura-Semanal-034-Jose-Sergio-Gabrielli

Defender o SUS : algumas pistas

Ainda comovido pelo empenho e dedicação dos profissionais da saúde pública no enfrentamento da pandemia, sentimento este potencializado por ter recebido a primeira dose da vacina CORONAVAC, passei a refletir sobre como defender de fato o SUS para além de “subir” hashtags e reproduzir uma retórica vazia.

Num primeiro momento resolvi realizar uma enquete nos “stories” no meu perfil no Instagram (visitem e sigam @luizdenis) pedindo sugestões de ação concreta. Muitas manifestações defendiam a remoção de Bolsonaro da Presidência da República mas duas outras me chamaram a atenção e pretendo desenvolver ações específicas:

  • o uso dos serviços do SUS, principalmente pelos “formadores de opinião”, com os devidos registros e divulgação como forma de aumentar a credibilidade no sistema;
  • o conhecimento, acompanhamento e participação das instâncias de controle social do SUS (conselhos federais, estaduais e municipais de saúde).

Penso que acompanhar a elaboração e execução do orçamento público nos seus três níveis também é importante. Mas podemos fazê-lo no âmbito dos conselhos.

E você, que iniciativas e ações concretas sugere para a valorização dos SUS ? conta pra gente nos comentários deste post

Vacinação e movimento sindical

Muito provavelmente na próxima segunda feira, 12 de abril, a primeira etapa do programa nacional de vacinação esteja concluída. Caso não faltem vacinas os idosos acima de 60 anos estarão vacinados e na próxima etapa deve-se vacinar os portadores de comorbidades.

Em paralelo alguns segmentos profissionais são incluídos no público prioritário: profissionais da saúde e segurança pública já estão sendo vacinados e professores da rede pública devem ser vacinados em breve. Os primeiros por conta da relação direta com o público, infectados inclusive. Já os profissionais da educação tem como justificativa a necessidade de protegê-los de um eventual contágio no contato com alunos quando do retorno às aulas presenciais.

Durante o dia de hoje vejo que a FNU – Federação Nacional dos Urbanitários – reivindica a inserção dos trabalhadores dos setores elétrico, saneamento, meio ambiente e gás natural na lista de prioridades (leia aqui) a partir de informações colhidas em estudo elaborado pelo LabFuturo e LABORe, da Universidade Federal do Rio de Janeiro UFRJ. Em Salvador o deputado estadual Bira Coroa (PT) reivindica prioridade para os trabalhadores do setor de saneamento (leia aqui) .

Em texto publicado hoje (leia aqui) o jornal El Pais apresenta segmentos profissionais que tiveram um incremento no número de mortes durante a pandemia. Enfim, são vários segmentos profissionais que estão expostos ao contágio pela natureza da atividade e pela essencialidade desta: motoristas e cobradores, frentistas de posto de gasolina, caixas de supermercados, entregadores de aplicativo, caixas de banco, serviços domésticos, trabalhadores de limpeza urbana, …

Temo que a insuficiência de vacinas leve o movimento sindical a cair em mais uma armadilha do corporativismo defendendo a priorização da sua base de representação e esquecendo que a situação deve ser tratada no plano dos direitos coletivos.

Podcasts que gosto #003 – Tecnopolítica

Produzido e conduzido por Sérgio Amadeu, professor da Universidade Federal do ABC e articulista dos segmentos de tecnologia e comunicação, este podcast discute, por óbvio, as implicações das tecnologias digitais no cotidiano da sociedade. Nas palavras do próprio na apresentação do projeto “no Tecnopolítica debatemos como a tecnologia tem modificado nossas relações sociais, econômicas e políticas. Conversamos sobre os mecanismos de poder e de sujeição que as tecnologias podem incorporar e conduzir e praticamos a crítica sobre os dispositivos e os aparatos técnicos apresentados como neutros, objetivos e eficientes”.

Encontra-se acessível nas plataformas de streaming mais populares, Spotify por exemplo, bem como no YouTube (ver abaixo). Possui uma newsletter (aparentemente sem circular) que pode ser acessada no site www.tecnopolitica.com.br.

Vale a audição e o uso eventual como fonte de consultas dada a contemporaneidade dos temas abordados.

Conjuntura Semanal #033 – 31 março – por J. S. Gabrielli

Se não quer esperar pela nossa publicação envie uma mensagem para o endereço jsgazevedo@gmail.com informando que deseja receber o boletim. E toda a segunda pela manhã ele estará no seu email.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑