Busca

TRAMPO Trabalho e economia solidária

notícias e reflexões sobre o mundo do trabalho e economia solidária

Ser entregador por aplicativo: quando sua vida vale menos do que uma entrega

O título deste post é também o título de matéria publicada pela revista online REVER e me chamou a atenção por ser o primeiro texto sobre serviços prestados por plataforma de aplicativos escrito por um trabalhador destes serviços, no caso o estudante baiano Marcos Gabriel.

Leia clicando aqui e entenda detalhes do funcionamento destes serviços e os seus algoritmos e que nem sempre estão presentes nas análises acadêmicas.

A revista REVER é editada por um coletivo de jovens jornalistas de Aracaju e conta com a colaboração de articulistas baianos. Vale acompanhar as postagens pois invariavelmente abordam temas atuais sob uma ótica que nos leva a pensar. E pouco adianta a queixa de concentração dos meios de comunicação no eixo Rio – São Paulo se não acompanhamos os veículos locais.

Conheça 12 profissões do futuro: de consultor de longevidade a fazendeiro vertical

O programa de formação interna de jornalismo do Estadão publicou um caderno especial sobre o impacto das novas tecnologias no mundo do trabalho.

Vale a leitura pelo tema em si bem como pela forma de apresentação inclusive contando com recursos de audição para deficientes visuais.

Me chamou a atenção o texto que especula, com consistência, sobre profissões do futuro. Analisando o texto penso em encerrar meus dias como “programador de entretenimento pessoal”.

Para acesso e navegação clique aqui.

Olívio Dutra na Bahia

Bela iniciativa de antigos ativistas sindicais da categoria bancária em Salvador e hoje aposentados. Evento realizado com recursos próprios.

E os fóruns de economia solidária se reorganizam

A partir do espaço de articulação proporcionado pela 26 FEICOOP – Feira Internacional de Cooperativismo – realizada no campus da UFSM, em Santa Maria, Rio Grande do Sul, o Forum Brasileiro de Economia Solidária reuniu os membros da coordenação que lá puderam estar para traçar diretrizes para o posicionamento do forum nesta conjuntura.

Da Bahia esteve presente a companheira Débora Silva, representando a organização Vida Brasil e a direção nacional da ABONG. Aliás a Débora tem sido minha fonte de informações nesta caminhada.

Como desdobramento o Fórum Baiano reuniu a sua Coordenação Executiva nesta quarta, 17 de julho em Salvador. A pauta foi basicamente organizativa apontando para a construção de uma agenda de atividades para a recomposição do forum estadual, a saber :

  • 9 de setembro – reunião da Coordenação ampliada em Feira de Santana
  • 26 e 27 de setembro – Plenária Estadual do Fórum Baiano, também em Feira de Santana

A pauta da reunião do dia 9 é voltada para a viabilização da plenária e respectivos temário e pauta. O local específico destas atividades estão por definir. Assim que tivermos esta definição informamos pelos nossos canais.

O Fórum Nacional fez circular um texto provocador para animar este processo. Breve também daremos publicidade e provocaremos alguma forma de debate.

A CUT de volta a Praia Grande

A CUT realiza nos dias 7 a 10 de outubro o seu 13 Congresso na cidade de Praia Grande, litoral de São Paulo na região de Santos. Em Praia Grande o movimento sindical de esquerda realizou em 1981 a sua I CONCLAT – Conferência Nacional da Classe Trabalhadora, este que foi o maior encontro de militantes sindicais até aqueles dias na nossa história. Ressalte-se que ainda estávamos durante uma ditadura militar.

Esta Conferência elegeu a Comissão Nacional Pro-CUT que dois anos depois organizou o Congresso de fundação da CUT. Nem todos os agrupamentos políticos presentes no CONCLAT participaram da fundação da CUT mas esta é outra história que comentaremos em outro momento.

Mas o que leva a CUT a retornar a Praia Grande. Arrisco dois palpites :

  • um de ordem mais pragmática – os ataques do governo Bolsonaro à organizações dos trabalhadores tem debilitado financeiramente o movimento sindical. Em Praia Grande localizam-se colônia de férias de vários sindicatos paulistas, herança do sindicalismo assistencialista da era Vargas. Utilizando-se desta estrutura teremos um congresso mais barato do ponto de vista financeiro e mais austero, sinalizando para as novas gerações que teremos que fazer um sindicalismo sem a estrutura e suporte material dos recentes anos. Carregada de pragmatismo esta decisão também tem um viés político;
  • outra de ordem essencialmente política – o desmonte da legislação trabalhista iniciado no governo Temer associado às crescentes mudanças no mundo do trabalho tem alterado a configuração da classe trabalhadora e as relações de trabalho exigindo uma atualização da organização e dos mecanismos de ação sindical. Nesta perspectiva enxergo o retorno a Praia Grande como uma sinalização de necessidade de refundar a CUT mantendo a radicalidade e a concepção sindical da sua fundação mas reconfigurada para dar respostas exigidas pelo momento.

Acredito que as duas razões são pertinentes, podendo variar na intensidade de cada uma e sempre serão complementares. Ao longo da construção do 13 Congresso vamos checando quais destas assumem maior destaque.

Siga a hashtag #TrampoNoCONCUT para acompanhar todo o 13 CONCUT, dos debates preparatórios até a sua plenária principal.

Brasil passa a fazer parte dos 10 piores países para se trabalhar

A ITUC CSI divulga anualmente a situação do mercado no mundo. Neste ano o Brasil passa a fazer parte dos grupo dos 10 piores países para se trabalhar. O texto do relatório é longo e a sua tradução custosa. Optei por traduzir o informe disponível no site. Usei o Google Tradutor e fiz algumas adaptações. As imprecisões ficam são de minha responsabilidade e fico à disposição para esclarecimentos.

Após o texto deixo os links para o relatório original e demais tabelas e notas de metodológicas.

O desmantelamento sistemático dos fundamentos da democracia no local de trabalho e a violenta repressão de greves e protestos põem em perigo a paz e a estabilidade, de acordo com o Global Rights Index, publicado anualmente pela CSI. O recurso à violência extrema contra defensores dos direitos no trabalho resultou em prisões e detenções em larga escala na Índia, Turquia e Vietnã.

Sharan Burrow, Secretária Geral da Confederação Sindical Internacional, disse que “de Hong Kong à Mauritânia, das Filipinas à Turquia, os governos estão tentando sufocar as manifestações de indignação limitando a liberdade de expressão e de reunião”. Em 72% dos países, os trabalhadores não têm acesso à justiça, ou seu acesso é restrito, com os piores casos no Camboja, na China, no Irã e no Zimbábue. “

“A quebra do contrato social entre trabalhadores, governos e empresas significou que o número de países que excluem os trabalhadores do direito de formar ou ingressar em um sindicato aumentou, passando de 92 em 2018 para 107 em 2019. O maior aumento foi registrado na Europa, onde 50% dos países agora excluem grupos de trabalhadores da legislação, em comparação com 20% em 2018. O trabalho decente está sendo afetado e os direitos negados pelas empresas que ignoram as regulamentações e as regras “.

“Nenhum trabalhador deve ser deixado para trás pelo fato de que seu empregador escolhe adotar um modelo de negócio onde a responsabilidade pelo emprego é disfarçada ou porque seu governo se recusa a legislar para garantir a aplicação dos direitos dos trabalhadores. Mais e mais governos são cúmplices na facilitação da exploração do trabalho porque os trabalhadores são forçados a trabalhar na economia informal “, disse Sharan Burrow, secretário-geral da CSI.

Ataques ao direito de greve em 85% dos países e negociação coletiva em 80% dos países prejudicam o papel dos sindicatos. Todas as greves e manifestações foram proibidas no Chade, enquanto as ordens judiciais foram utilizadas para acabar com greves na Croácia, Geórgia, Quênia e Nigéria. A Europa, que tradicionalmente apoia os direitos de negociação coletiva, viu empresas na Espanha, Estônia, Noruega e Holanda tentar minar os direitos dos trabalhadores.

“Várias empresas que atacaram sistematicamente os direitos dos trabalhadores estão agora enfrentando protestos globais. Atualmente, a Uber enfrenta greves e batalhas legais da Austrália à Coréia do Sul e de Mumbai a São Francisco. Trabalhadores em armazéns da Amazon na Europa e nos EUA entraram em greve e em vários países europeus os sindicatos chamaram a maior greve da história da Ryanair (empresa aérea irlandesa de baixo custo que atende toda a Europa, nota de minha autoria). A ganância corporativa pode ser global, mas as ações dos trabalhadores são unificadas em uma escala nunca antes vista “, disse Burrow. Continuar lendo “Brasil passa a fazer parte dos 10 piores países para se trabalhar”

TRAMPO no 13 CONCUT

Nos dias 8 a 11 de outubro deste ano a Central Única dos Trabalhadores realiza o seu 13 Congresso em Praia Grande, SP. Pela sua importância, quer pelo momento político que vivemos quer pelas profundas transformações por que passa o mundo dos trabalho, este blog e seus perfis associados estará a partir desta segunda feira, 8 de julho realizando um esforço de cobertura deste Congresso.

Diariamente estaremos publicando notícias, artigos, entrevistas e vídeos objetivando informar os dirigentes, ativistas e todos aqueles interessados no movimento sindical brasileiro, cutista em particular.

Siga a hashtag #tramponoConCUT e fique por dentro do 13 CONCUT; e use esta mesma hashtag para referenciar o que voce ou seu sindicato venha a publicar sobre o Congresso: assumimos o compromisso de repercutir nos nossos perfis.

Dicas de navegação segura na internet

Tenho mantido publicações regulares no IGTV e, a partir de hoje no YouTube, com recomendações de publicações, sites, podcasts, enfim o que achei interessante ao logo da semana.

Na postagem de hoje recomendei o site Baixa Cultura muito por conta de dicas de como navegar de forma segura na internet. Em recente publicação impressa eles sugerem uma série de sites e textos em formato digital que compartilho aqui com voces :

E por fim deixo o vídeo postado hoje; continuo brigando com o editor de vídeo mas venho obtendo algumas vitórias. O mesmo não posso dizer dos ruídos ambientais : os periquitos da rua onde moro estavam animados com o retorno do sol

Melhor vídeo sobre o “novo” mundo do trabalho

Sem muita conversa : recebi esta sugestão de vídeo da professora Graça Druck num grupo de Whatsapp. Ótimo para atividades formativas e para dialogar com os mais jovens. E os não tão jovens também.

E uma pergunta para a qual não tenho uma resposta pronta mas temos que nos indagar : como organizar os trabalhadores nestas circunstâncias ?

Blog no WordPress.com.

Acima ↑