A CUT e seus sindicatos filiados tem assento em quase todos os conselhos de políticas públicas no âmbito do estado da Bahia. Com o passar do tempo esta participação que era fragmentada está próxima da inexistência. Mandatos não são renovados, conselheiros não comparecem às reuniões e não existe nem diretriz nem articulação.

Nestes conselhos muitas decisões são tomadas que interessam aos trabalhadores: política de convivência com o semi-árido impacta na agricultura familiar, política de segurança alimentar impacta na qualidade de vida da população mais pobre, Agenda do Trabalho Decente impacta na vida dos trabalhadores em situação vulnerável…e ficamos por aqui para não alongar o texto.

Neste exato momento a participação da CUT no Conselho Estadual de Trabalho e Renda teria papel importante no debate e encaminhamento de soluções para a subsistência das comunidades atingidas pelo óleo e estão com o seu ganha-pão comprometido.

É portanto tarefa da próxima direção da CUT :

  • mapear os espaços institucionais ocupados pela CUT ou por representações de sindicatos filiados e a duração dos mandatos;
  • definir as representações de acordo com o perfil exigido pela estratégia de atuação da CUT;
  • organizar um coletivo de apoio, de caráter consultivo, para dar suporte técnico aos representantes;
  • definir plano de divulgação da agenda, pautas e deliberações dos Conselhos e Conferências;
  • incluir o tema na agenda da formação da CUT pois muitos destes conselhos demandam representações nos municípios.