E nesta recente quarta feira, 8 de maio, tivemos a primeira tentativa de paralização dos motoristas de aplicativos em vários países. Articulada inicialmente nos EUA por conta do lançamento das ações do UBER na Bolsa de NY nesta sexta, teve seus desdobramentos aqui no Brasil. Se nos EUA as demandas financeiras estiveram na pauta, aqui no Brasil as questões de segurança dos motoristas tem lugar de destaque.

Por conta das características do setor e da fragilidade organizativa dos trabalhadores não temos um balanço preciso da paralização. Deixo a seguir os links encontrados na web:

  • “Não pude parar, mas apoio”: o que dizem os motoristas sobre greve da Uber… – noticias.uol.com.br – http://bit.ly/2V8Cstv
  • Motoristas de aplicativos Uber e 99 fazem greve por lucros maiores – G1 – https://glo.bo/2HbseDK

  • Greve na Uber: tarifas disparam em dia de paralisação internacional – Tecmundo – http://bit.ly/2LwPCAT

  • Uber Off: 30% dos motoristas aderem à greve em SP; preços ficam estáveis -InfoMoney – http://bit.ly/2Jc9Hus

  • Nota da CUT em apoio à greve dos trabalhadores e trabalhadoras do Uber – http://bit.ly/2DZ9oyT