Busca

TRAMPO Trabalho e economia solidária

notícias e reflexões sobre o mundo do trabalho e economia solidária

Tag

lulalivre

Protesto em Bruxelas para exigir a liberdade do ex-presidente brasileiro Lula

Segue transcrição de informe da ITUC – International Trade Union Confederation sobre o apoio do movimento sindical internacional à campanha pela liberdade do Presidente Lula. O informe é de 24 de abril e a tradução é minha com a ajuda do Google Tradutor.

“Organizações sindicais belgas e internacionais exigiram a libertação imediata da prisão do ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva. Em uma carta entregue ao embaixador do Brasil em Bruxelas, o CSC, o FGTB, a ITUC e a Confederação Européia de Sindicatos declararam que a prisão arbitrária de Lula é uma ameaça à democracia. Sindicatos em Assunção, Buenos Aires, Genebra, Jacarta, Lima, Londres e Rabat também se reúnem hoje nas embaixadas brasileiras, após protestos nos últimos dias em Madri, Montevidéu, Paris, Roma e Washington, D.C.
“Lula foi considerado culpado por um tribunal de primeira instância sem qualquer evidência, fato que os próprios juízes do tribunal de primeira instância admitiram. Lula é o político mais popular do Brasil por ampla margem, e a perseguição judicial contra ele visa impedi-lo de ser novamente presidente “, disse o secretário-geral da ITUC, Sharan Burrow.
Os advogados de Lula levaram o caso perante o Conselho de Direitos Humanos da ONU, observando a óbvia parcialidade dos juízes e promotores e pedindo ao Conselho que reconheça que “o tribunal regional que o considerou culpado, o juiz Sérgio Moro e os promotores públicos”. da chamada operação “Lava Jato” violou os direitos à privacidade de Lula, o direito a um julgamento justo, o direito a não ser arbitrariamente detido, o direito à liberdade de movimento e o direito à presunção de inocência até a culpa seja declarada “.
Evidências preliminares apresentadas ao UNHRC estão centradas no vazamento de dados confidenciais para os órgãos de mídia, emissão ilegal de um mandado de prisão, divulgação ilegal de escutas telefônicas, o uso de indefinido prisão preventiva contra suspeitos no âmbito da operação “Lava Jato”, a obtenção de delações através de acordos de negociação de sentença e numerosos exemplos da pronunciada parcialidade dos promotores e juiz Moro contra Lula.
“O movimento sindical europeu se solidariza com nossos colegas brasileiros e ajudará em tudo que pudermos para defender a democracia e restaurar o estado de direito”, disse o secretário-geral da ETUC, Luca Visentini. 

“Este é o mais recente de uma série de graves ameaças à democracia no Brasil. O movimento sindical belga está com Lula na luta pelo povo brasileiro e sua democracia “, disse o presidente do CSC, Marc Leemans.
“Estamos profundamente preocupados com a vontade das forças conservadoras de impedir, por todos os meios, que o ex-presidente Lula seja candidato em um processo eleitoral justo e democrático”, disse o secretário-geral do FGTB, Robert Vertenueil.”

Reforçar a narrativa : “cadê as provas”

A forma açodada com que o juiz Sérgio Moro conduziu a prisão do Presidente Lula criou uma quase comoção nacional e manteve a esquerda unida mesmo que só durante algumas semanas. Embora não tenha ampliado o leque de apoiadores, as manifestações que ocorreram desde o anúncio da expedição do mandato de prisão trouxeram para as ruas uma militância que andava meio sonolenta.

Embora inexistam pesquisas oficiais, colunistas, blogueiros e a imprensa tradicional sinalizam que o sentimento da população em relação a Lula é de percepção de uma situação de injustiça : por que só Lula foi preso? A princípio não se questiona a injustiça da condenação mas a injustiça da não prisão de outros tantos.

Talvez por isso o Poder Judiciário e a imprensa esforçam-se em apresentar denúncias e dar curso a processos investigatórios que atingem o Presidente Temer, o senador Aécio, o governador Geraldo Alkmin e outros tantos acusados ou suspeitos. Óbvio que a queda do foro privilegiado para aqueles que se desincompatibilizaram do cargo para concorrer às eleições conta também. Mas me parece que existe uma iniciativa para oferecer uma companhia a Lula na sede da PF em Curitiba.

Se for verdadeira esta leitura da percepção popular e se mais um figurão for preso a sensação de que Lula é vítima de uma injustiça pode diminuir e junto eventuais gestos de solidariedade. Sem contar que o passar do tempo vai reduzindo o ímpeto das manifestações populares.

Portanto faz-se necessário reforçar a narrativa, que corresponde aos fatos, de que Lula foi condenado injustamente já que inexistem provas. Que cabe a quem acusa o ônus da prova. E que suposições, por mais nexos que se estabeleçam, não substituem provas. Enfim voltar a agitar como palavra de ordem a pergunta que fazíamos semanas atrás :

“cadê as provas ?”

Blog no WordPress.com.

Acima ↑