O avanço do agronegócio na fronteira agrícola conhecida por Matopiba (região que compreende áreas de cerrado do Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia) é um dos fatores responsáveis pelas chuvas na região Nordeste que tanta dor levou às populações estabelecidas nas áreas ribeirinhas nestes estados. É o que demonstra matéria publicada pelo site Brasil de Fato (leia abaixo) com depoimentos de professores e agricultores familiares.

A crescente supressão vegetal aliada ao fenômeno climático La Nina desorganiza o regime de chuvas. Some-se a estes fatores o assoreamento de rios, o uso desordenado dos seus leitos e a ocupação sem critérios das suas margens e temos o cenário para uma tempestade perfeita.

Na Bahia o quadro é agravado pelo desmatamento da Mata Atlântica (somos recordistas), pelo crescimento da área plantada para a produção de hortifruti em larga escala na Chapada Diamantina e, mais recentemente, pela chegada de projetos de mineração também na Chapada.

Faz-se necessária uma ação mais firmes dos órgãos de controle ambiental e um modelo de desenvolvimento que preserve o equilíbrio ambiental. Ou teremos tragédias semelhantes às que vivenciamos recentemente se repetindo num espaço de tempo cada vez menor.